Mariana - Minas Gerais

24.7.11



Mariana foi a vila que deu origem ao circuito mais famoso de Minas Gerais. Sim, vila. O fato é que foi a primeira dentre todas as existentes no Estado e pode-se considerar que é, até hoje, uma delas. Mariana não é uma cidade grande, cheia de largas ruas ou semáforos, ou dotada de um grande centro comercial. Apelidada carinhosamente de vila, é assim que ela se apresenta ao público: como uma pintura regada de tranquilidade e charme. A moça bonita da Estrada Real.

Casa do Barão do Pontal

Fundada em 1696, ainda com o nome de Ribeirão do Carmo, foi elevada à condição de vila em 1711, um largo passo para que se estabelecesse ali a primeira capital de Minas Gerais. A mudança para o nome Mariana veio em 1745, um agrado feito pelo rei de Portugal, D. João V, a sua esposa D. Maria Ana da Áustria. Esta e algumas outras histórias podem ser ouvidas pelas ruas da cidade. É evidente que seus moradores se orgulham e muito de Mariana e exaltam a todo o momento que dali nasceu o Estado de Minas Gerais. E não é para menos, um dos mais visitados do Brasil.

Casa da Câmara e Cadeia

Tombada como Monumento Nacional em 1945, é uma excelente opção para quem aprecia arquitetura, arte, música e principalmente a história brasileira.

Seminário Maior São José

Pequenas praças, calçamento em paralelepípedo, importantes construções de igrejas e casas, tudo o remete a uma volta ao passado, aos meados do século 18, e o pensamento do “como?” fica evidente no olhar. “Como foi feito tudo isso, bem aqui, no meio do Brasil Colonial?”, sem estradas ou ferrovias, sem motores, com animais e braços fortes...

Minas da Passagem

A excelente proporção de formas de Mariana está aí, em suas pequenas ruas em calçamento de pedra e paralelepípedo, nas antigas casas que conservam suas janelas assim como no passado, há mais de 200 anos, nas missas realizadas todos os dias nas mesmas igrejas construídas por escravos e devotos católicos.

Igrejas São Francisco de Assis e Nossa Sra do Carmo

Ao final da tarde, a Praça Gomes Freire fica cheia. São casais apaixonados, mães com crianças, gente que volta do trabalho. Tudo se transforma em um reduto intimista e a beleza simpática do local seduz à permanência em um de seus bancos, bares e restaurantes, de frente para o coreto. O interessante é que é assim, todos os dias.

Principais atrações:

Casa da Câmara e Cadeia
Chafariz São Francisco
Pelourinho
Casa do Barão de Pontal
Casa Setecentista
Seminário Maior São José
Cachoeira do Brumado
 
Como chegar:

De Belo Horizonte, o caminho mais prático e todo asfaltado é pela BR-040, sentido Rio de Janeiro. Depois de aproximadamente 20 quilômetros, entre no trevo sentido Ouro Preto (BR-356 – Rodovia dos Inconfidentes) e siga até Mariana.

Uma das maneiras de chegar à cidade é por meio de uma locomotiva de ferro, a tradicional maria-fumaça. Além de embarcar num transporte centenário, totalmente preservado, o visitante pode apreciar a paisagem verde no entorno da região. O trem sai de Ouro Preto, cidade histórica localizada a 12 km de Mariana. Por serem próximas, muitas pessoas preferem fazer o passeio nas duas cidades no mesmo dia. 

Distância de Belo Horizonte: 110 km


Fonte: IG Turismo
Fotos: Panoramio, Google Images

0 comentários: