Almoço de Domingo na Zona Sul

30.11.14


Almoçamos no Restaurante La Piedra, na Zona Sul em Porto Alegre. Lugar muito agradável, bonito e com comida deliciosa. Venha sem pressa e desfrute da paisagem e da música ao vivo também.
 

Pessoal fazendo SUP bem em frente ao restaurante

O restaurante fica na beira do Guaíba e tem mesas na rua, sob o gazebo e no interior da casa.



 Aos domingos ao meio-dia servem um buffet de saladas bem farto e variado. Além dos pratos à la carte. À noite é só à la carte e o Happy Hour é bem concorrido. É bom fazer reserva.



Pedimos Peixe ao molho de amoras com Pure de batatas doces e Frango grelhado ao molho de maracujá com Risoto de alho poró.



Gostei muito da decoração rústica, do clima relax e da comida. O dia estava bem quente e lá não tinha ar-condicionado pelo o que vi. Dentro da casa estava fresquinho, com as portas e janelas abertas e uma leve brisa. Na rua estava bem quente, mesmo sob o gazebo. Se você fizer questão de ar-condicionado talvez não seja um bom lugar pra ir.



 O buffet de saladas é bem variado
 
Também não é barato, mas achei o preço justo pela qualidade e ambiente. O buffet com o prato quente é R$75,00 por pessoa, R$14,00 do couvert artístico e mais as bebidas. Você pode optar somente pelo buffet se não fizer questão de carne.



E pelo menos nos próximos dias, estão sem o leitor do cartão de crédito/débito. Mas tem solução, se você estiver sem cash o motoboy vai até sua casa depois.


Eu gostei muito e quero voltar para um Happy Hour. Imagina ver o pôr-do-sol daqui... 
O restaurante não tem área de recreação para crianças, mas tem um bom espaço no pátio em frente e ao lado da casa. 

Informações:

Avenida Coronel Marcos, 329 - Pedra Redonda, Porto Alegre
Fone: (51) 3268-6886


Fernando de Noronha com Crianças e Casamento!

26.11.14



Meu amigão Fausto Rodrigues é fã de carteirinha de Fernando de Noronha e a 3 anos visita a ilha com sua linda família. Sua última visita foi agora no mês de novembro. Fausto nos presenteou então contando suas experiências, para que compartilhássemos aqui no blog. Olhem só que beleza...


Da primeira vez que foram, o Vicente era pequeninho e o Fausto usou aquela cadeirinha tipo mochila para fazer todos os passeios com o gurizinho à tira-colo. Achei o máximo! Quanta disposição!


Foram muitos passeios e aventuras e o Vicente curtiu tudo. Maior companheirão!



Quando batia o cansaço, era só tirar um cochilo embaixo de uma sombra amiga ou no barco mesmo!



Mariana, sua esposa, é uma fotógrafa de mão cheia. Dá pra ver pelas fotos incríveis. Eles também usam muito a GoPro para registrar todos os momentos.



Ano passado a Mariana estava grávida do Antônio. Pensam que isso foi um problema? Pelo contrário! Quem não ia querer fotos de grávida nesse cenário?


E a família que aumentava só fez aproveitar essa delícia de lugar.



Esse ano foram os 4! Ficaram hospedados em um quarto alugado na Casa da Tereza, na praia Cacimba do Padre da Conceição, com esse visual.


Aqui uma foto da varanda da casa:


A casa é bem simples, mas tem o que eles precisam. Tem duas funcionárias que ficam à disposição 24 horas. O Fausto fez um vídeo para a gente, mostrando como é o quarto.

video

Para o almoço, eles compram uma quentinha que o motoboy leva na casa, 14 reais para 2 pessoas. Aqui um outro vídeo sobre isso:

video


Aqui tem fotos do café da manhã, onde não pode faltar o chimarrão dos gaúchos!



Como nos outros anos, aproveitam tudo, mesmo com o Antônio tendo apenas 1 aninho!




Uma dica preciosa do Fausto: O Vicente foi picado por um inseto e a perninha dele ficou bem feia. Levaram-no ao hospital da ilha e foram super bem atendidos! Acharam tudo limpo, organizado e deram inclusive os remédios que precisaram. Tudo pelo SUS. Olha aí a foto...Bom saber né?


Viagem dos sonhos. Se alguém tinha receio de visitar Fernando de Noronha com crianças, acredito que a experiência do Fausto com sua família é o melhor incentivo.


Para coroar a viagem desse ano, Fausto e Mariana resolveram casar por lá! Que idéia mais linda, romântica, simples, autêntica! Casar nesse cenário, acompanhados dos filhos, um sonho! Eu fico até emocionada de ver as fotos e imaginar o Vicente contando depois, quando for maiorzinho...





Parabéns Fausto e Mariana! Pelo casamento, pela viagem e sobretudo pela família linda que vocês constríram. Que vocês sejam sempre abençoados com saúde e disposição para levar esses gurizinhos por todos os lugares. Eles estão crescendo cercados de amor e de vivências inesquecíveis!




 E MUITO OBRIGADA mesmo, por compartilharem aqui essa viagem Linda! Tenho certeza que será inspiração para muitas famílias.


O Contato para alugar o quarto é:
81-36190158 com a Néia. Ou 81-97183774 com a Márcia.
Podem dizer que foi o Fausto que indicou! :-)

O Caso da Mala Extraviada - 4 Lições

12.11.14


Em Agosto deste ano eu fiz uma viagem à trabalho para Austin, Texas. Levei algumas de minhas roupas favoritas de trabalho: Terninho, camisa de seda, sapatos de salto alto... Lá em Austin e também comprei algumas coisas, para mim, em lojas e outras pela internet, que mandei entregar no hotel.

A mala grande

Nada de mais, nenhum eletrônico, alguns poucos brinquedos para as filhas, roupas e tênis para elas e para o marido, aproveitando a liquidação de verão lá. Eu sempre viajo com uma mala média, onde levo minhas coisas dentro de uma mala maior, onde coloco as compras. Volto assim, com 2 malas. Nunca mais que isso.

(Foto: Por Aí)

Acontece que na volta, uma das minhas malas não veio junto comigo... justamente a mala grande! Acontece que dessa vez eu resolvi dividir as compras e as minhas coisas entre as duas malas. Então a mala que veio (dois dias depois de mim) tinha algumas das coisas que comprei. Mas era a menor delas.

Escrevo esse post então, para contar como foi a novela da mala perdida e o desfecho, 3 meses depois.

Tão logo percebi que as malas não estavam na esteira, fui até o balcão da companhia aérea (American Airlines) ali mesmo no setor das esteiras. Uma moça bastante atenciosa me deu um formulário para preencher e anotou os códigos dos meus comprovantes de bagagem. Esse formulário é bem simples e basicamente visa a descrição do tipo de mala que foi extraviada, para fins de localização. Lição #1: Você pode fazer esse pedido mais tarde, mas é melhor que faça imediatamente após concluir que sua mala não chegou.

Dois dias depois, a AA ligou para mim dizendo que uma das malas havia sido localizada e seria levada por um motorista até minha casa. A outra, disseram eles, não havia sido localizada mas que eles continuariam procurando.

Nesse meio tempo eu entrei em contato com meu cartão de crédito que oferece um serviço de localização de bagagem. Acabei descobrindo que esse serviço nada mais é que alguém ficar telefonando para a cia aérea e perguntando como estão as buscas... Lição #2: Serviço de localização de babagem do CC não ajuda em nada.

30 dias depois, a AA me enviou um formulário, dizendo que minha mala não havia sido encontrada e que eles iniciariam o processo de indenização. Eu deveria imprimir o formulário e preenchê-lo à mão depois deveria escanear o mesmo e enviá-lo por e-mail junto com as fotos ou arquivos .pdf de todos os recibos que eu tinha mais cartões de embarque e comprovante de bagagem. Junto com os itens eu deveria colocar os valores (mesmo que estimados) e, no final, deveria indicar qual o montante que eu estava solicitando. Lição #3: Guarde todos os comprovantes sempre.

Preenchi o formulário e, para minha sorte, eu tinha todos os recibos das compras feitas pela internet. Porém não tinha os recibos dos itens que eu havia levado comigo do Brasil (obviamente), nem os das compras feitas nas lojas de lá. Estes estavam justamente dentro da mala perdida. Lição #4: Trazer os recibos sempre na bagagem de mão. Eu sempre trago os recibos para o caso de ser parada pela Receita Federal. Se você não tem os recibos, eles atribuem o valor que quiserem às suas compras.

No total, eu estimei US$ 2145,00 entre todos os itens. Tinha recibos de cerca de US$1000,00 mais US$100,00 do valor que havia pago pela mala há alguns meses atrás (mas que eu não tinha mais o recibo).

Mais ou menos a cada 15 dias a AA mandava um e-mail ou telefonava para me dizer que ainda não haviam encontrado a mala e que meu pedido de indenização estava sob análise. No final de Outubro eles entraram em contato dizendo que me ofereciam US$1676,50 a título de indenização. Queria saber como chegaram a esse número!

Pensei bastante, conversei com viajantes experientes, advogados e com a família e resolvi aceitar. Do jeito que anda nossa justiça, resolvi não arriscar um processo longo que poderia não dar em nada.

A AA me enviou um termo de quitação (abaixo) que eu devolvi assinado e semana passada eles depositaram o valor correspondente em reais (dólar comercial). E assim terminou a novela da minha mala perdida. Ainda estou muito chateada com tudo isso. É bastante frustrante imaginar minhas coisas por aí, na mão de estranhos. Pior foi ver a carinha de decepção das meninas, que aguardavam ansiosamente os presentinhos que mamãe sempre traz para elas quando viaja. Mas elas entenderam que foi uma fatalidade e que problemas acontecem, não havia o que fazer.

Quanto a indenização, essa já tem destino: nossa próxima viagem de férias. Espero que isso nunca mais aconteça conosco, nem com vocês! 


Termo de Quitação
UYHPIB

Eu, ______________________, nacionalidade_______________, estado civil____________, portador(a) da cédula de identidade RG nº ________________, inscrito(a) no CPF/MF sob o nº __________________, residente e domiciliado(a) à _________________________________________________________________________, cidade_______________, estado_____, declaro que, perante ao depósito,  no valor de USD 1676.56 ( Hum mil e seiscentos e setenta e seis dólares americanos e cinquenta e seis centavos), declaro ter sido integralmente ressarcido(a) quanto aos inconvenientes ocorridos com a AA, por este instrumento e na melhor forma de direito, dou à American Airlines Inc. total, plena, rasa, irrevogável quitação, e renuncio ao direito de pleitear, em juízo ou fora dele, indenizações a título de compensação por danos materiais, morais ou a qualquer outro título, em razão dos fatos relacionados com o meu transporte.
E, por ser livre manifestação de vontade e expressão da verdade, firmo o presente instrumento, em duas vias de igual teor e forma, para que produza seus regulares e legais efeitos.